Oficinas de corporal 

Projeto
Fortaleza. Ceará, 2020. 


Desde 2016 conduzo oficinas de corporal. Acredito na colonialidade como um gesto, e na liberdade como uma dança. 





Arruda, para viver os mergulhos no sol. 2019, Rio de Janeiro.  

A arruda atua no Plexo Solar. Esse 3º chakra é responsável pela digestão de nossas relações interespecíficas e culturais. Como digerir violências colonias vividas por nossos corpos não-brancos e não-cisgêneros? O desejo que conduz esse encontro, é de fazer do corpo, um local de vida. Iremos experiênciar um conjunto de movimentos corporais com arruda, terra, água e fogo. Para sobreviver ao fim deste mundo, nos é preciso virar a arruda. 4h

O projeto 'E-du-ca-ti-vo // Estranhos Saberes' está sendo desenvolvido por Agrippina R. Manhattan @um_amor.impossivel , e integra as atividades da residência Corpxs Estranhxs. Na Escola Abertas, corpas não-cisgeneras, são convidades a partilhar seus saberes em aulas públicas.


Um corpo para o futuro, Vitória/ES. 

    
Oficina desenvolvida para o projeto “Imagens e subjetividades negras” do coletivo FotoMelanina.
Dois encontros. Sabado e domingo. total de 9 horas



Cartas sobre o fim do mundo; corpo, sobrevivência, escrita, cura.
Museu de Arte de São Paulo. 2019
    
Oficina feita com Musa Michelle Mattiuzzi, Odaraya Mello. A oficina fez parte do progeama educativo da exposição “ Histórias das mulheres, histórias femininas”. Dois encontros de 4 horas. 





Mark