Sagrado feminino de merda
Série fotográfica
Vitória, 2019




Sagrado feminino de merda. Meu sagrado é de merda porque meus testículos são femininos? Meu feminino é de merda porque meu sagrado é retinto avermelhado? Ser feminina é uma merda, mas se dizem que não sou feminina porque continuo uma merda?  Sou negra e me chamam de negro. Pela la, não existe ingenuidade entre nós. No momento da mortificação, todos sabem que sou bixa ou travesti. Então porque me chamam de negro? É uma hipocrisia que não me pertence. Porque há uma projeção. Me reconhecem como merda e me classificam numa cisgeneridade que vocês reconhecem não existir em mim no momento que me chamam de merda. Se sou uma merda então sou feminina e sagrada.  


Castiel Vitorino Brasileiro
Série fotográfica "Sagrado feminino de merda"
Fotografia digital, impressão finearte
297x420 mm
Vitória
2019




Produção e montagem Castiel Vitorino Brasileiro